domingo, abril 19, 2009

Isso não é uma poesia




10 de setembro,2008

Nem sempre eu vou esperar o tempo
Se o tempo não souber me acompanhar
Eu sigo louco feito vento
sem momento nem lugar

Transcendo as horas num instante
Ando em passos desiguais
E dos segundos dissonantes
Invento notas musicais

Da rima do meu inverso
Subverto minhas idéias
Da magia do pensar incerto
No avesso das poesias.

quarta-feira, abril 08, 2009

Poema a duas mãos

- Até a verdade é uma ilusão
- Até a ilusão é uma verdade


(Ari & Rafiki)

quinta-feira, abril 02, 2009

Cheirando como outro alguém.

A intimidade confunde os cheiros. Não é algo que aconteça por causa de meia dúzia de encontros.Requer certo tempo, um algo de romance, de constância. Não é sobre sentimento, é sobre pele, não trato do obstrato agora.

A intimidade confunde os cheiros. Quando o corpo esquece do seu próprio odor, quando há o costume.Repetição, o cérebro acaba por associar os cheiros. Não há lucidez nesse processo, mas um algo de confuso.


A intimidade confunde os cheiros. Então você está em casa, sozinho. O suor teima em molhar o teu corpo.Existe um cheiro, mas não é o seu. Não pode ser...


O cheiro dela está em mim.
 

3/4 © 2008. Thanks to Blogger Templates | Design By: SkinCorner