segunda-feira, março 22, 2010

Sobre cheiros, fumaça e flor.


Havia uma cortina de fumaça entre mim e o que eu queria ver. Eu não pensei muito, fui de encontro ao que me impedia, soltei-me das correntes já enferrujadas e fui. Por muito tempo eu andei e não pude ver nada, meu pulmão reclamava por ar limpo. Eu precisava continuar mesmo sem saber se encontraria fogo ou cinzas. Eu não procurava cinzas, eu não procurava fogo. Eu queria encontrar uma flor que há muito deixei plantada ali, do outro lado.
Cheiros. Meu nariz se confunde com tantos cheiros, todos eles estão em mim. Cheiro como cheiram cinzas, cheiro como se cheirasse uma flor. Eu sei o que eu procurava. Eu procurava o sumo da flor de insanidade para terminar com o que me sobrava de lucidez. Eu já estava mesmo mergulhado naquilo tudo, eu cheirava como tudo ao meu redor.
De que me vale esse ¼ de sanidade, mas parece uma pedra amarrada ao meu calcanhar. Não me valem pedras no oceano. É como se alguém segurasse o meu pulso esquerdo, com força, enquanto o que me resta de corpo livre quer voar.
Eu cheiro a fumaça, eu cheiro a tudo mais ao meu redor. Por onde eu passo absorvo os cheiros. Por que não me foi dado o prazer de caminhar entre rosas e espinhos?
Outro dia ela falou comigo, a flor que eu observo. Já não tenho certeza se era mesmo uma flor. Falou-me por poucos segundos, mas fiquei com a sensação de que havia algo mais. Como se aquilo fosse apenas uma tentativa de se aproximar. Não, não. Eu é quem devo estar fantasiando, como sempre. Mesmo assim sinto um cheiro de futuro, daqueles vislumbres sazonais.
E então já é época, meu poder aumenta ao mesmo passo que minha inquietude. E quanto mais eu posso ver, mais eu quero transpor aquela cortina de fumaça.
Eu continuo dentro, ora ando para trás, ora dou três passo para frente...


Não lembro quando escrevi isso, mas foi no fim do ano passado.

4 Fragmento(s):

Mulher na Polícia disse...

Acho que seria muita pretensão da minha parte tentar captar pelo menos 3/4 do que você escreve.

O seu texto é quase uma imagem na minha mente e mexe de alguma forma comigo. E eu volto pra cá de novo e de novo e de novo...

Desejo uma noite bonita pra você.
Beijo!

Inguid disse...

Vc é o meu mistério mais misterioso de entender.Será que isso que me faz presa a vc?Tenho tantas outras perguntas...mas tenho muitos anos para descobrir quem é "você",até o último suspiro da minha vida.S2,amo!

Rebeca Postigo disse...

Uma confusão de sentimentos...
Não consigo descrever o que estou sentindo agora...
Seu texto me parece familiar e ao mesmo tempo estranho...
Mas de alguma forma racional...

Bjs

Luízα disse...

Devido a tanta fumaça, não se sabe o que há na frente. Ir ou ficar ? Eis a nossa questão.

Postar um comentário

Fragmente-se e comente...

 

3/4 © 2008. Thanks to Blogger Templates | Design By: SkinCorner