sexta-feira, abril 30, 2010

Fantasia

Das tuas linhas
Que observo em segredo,
Me perco
Abraça-me com tuas pernas
Lisas, nuas

E eu mergulho inteiro
Ávido de tua alma
Para ser fogo,
Cura

Eu que estou sujeito
Às tuas façanhas
Torno-me mestre
E te faço títere do prazer a dois

Eu que sou o demônio
Dos teus espasmos
Cresço em mil formas
Antes de nascer o dia
Posto que tudo em mim
É fantasia

7 Fragmento(s):

cris belier disse...

O desejo aproxima... e a relidade afasta, mas o porque de sentimentos assim, manterem-se em segredo? Eu que sou fogo, pensando e repensando, incendiaria toda essa questão afinal... tudo vale a pena quando a alma não é pequena! rs...

Rebeca Postigo disse...

Hum...
Talvez pudesse dizer tantas coisas sobre esse fragmento...
Mas talvez ainda não possa me fragmentar por completo a fim de compreender as palavras que usaste...
Ainda vejo certas coisas como sendo pura fantasia...
Outras ainda nem me são fantasias...
Tem milhões de idéias correndo por minha mente nesse momento em uma velocidade alucinante...
Não sei qual delas é a estável...
Então...
Me calarei...

Bjs

Ana Lucia Franco disse...

Olá, do corpo à alma, pura fantasia. Belíssimo poema.

abrs..

Rebeca Postigo disse...

Hum...
Têm dois selinhos no meu blog pra você...

Bjs

Luíza disse...

hm, pecado puro(?). Amei o novo layout, está ótimo ^^

Mulher na Polícia disse...

Ai, que inveja dessa musa.
Viajei!

Meus cumprimentos ao poeta.

Isa disse...

Muito bom, deixou-me até sem palavras para comentar.
Sim, é fantasia.

Postar um comentário

Fragmente-se e comente...

 

3/4 © 2008. Thanks to Blogger Templates | Design By: SkinCorner