quinta-feira, outubro 07, 2010

Mundos

E existem mundos dentro de mundos, nenhuma novidade nisso. Ou talvez existam mundos fora do mundo. Não importa tanto.

Mas eu estava lá, fora do meu mundo, portanto pude observar com os olhos de um outsider invisível.

 É interessante, ou não, o modo como as pessoas se colocam dentro de seus mundos. Elas se sentem tão importantes perante a si e perante aos outros membros dessa mesma esfera. E tudo que fazem assume o tom de descoberta extraordinária, são avaliadas, colocadas a prova, testadas até que correspondam aos requisitos daquele sistema.

Então eu salto para um outro mundo, que também não é o meu. A mesma coisa se repete, os pequenos heróis tentando afirmar a si mesmos, aos olhos dos já consagrados. Cada mundo, no entanto, desconhece os feitos dos personagens de um outro mundo, posto que são irrelevantes, isto é, relatividade.

No fim eu retorno ao meu próprio mundo, onde estou sujeito a tudo que foi escrito antes, onde eu tenho que ser herói, onde eu tenho que produzir grandes feitos, e onde eu não tenho vontade...



desempenho bem o meu papel




Eu só fico pensando, se existe mesmo um Ser capaz de visualizar tudo de fora, um Ser que não pertence a nenhum desses mundos, eu penso que a este Ser tudo deve ser muito previsível e medíocre, patético eu diria. A este Ser a vida deve ser entediante.

3 Fragmento(s):

Priscila Moraes disse...

Não suma não, Fiki.

Fabrício disse...

... olhou com os olhos de quem só olha pro seu próprio cu.

... e o mundo é mais que isso.



Abraço

Rebeca Postigo disse...

Talvez seja engraçado...
Gostei do texto...
Metáforas usadas nos lugares certos...
Amei!!!

Bjs

Postar um comentário

Fragmente-se e comente...

 

3/4 © 2008. Thanks to Blogger Templates | Design By: SkinCorner