segunda-feira, janeiro 27, 2014

Confissão

Não houve nem sequer um dia
No qual seu nome
Não fosse beleza

Não houve nem sequer uma manhã
Na qual meus olhos
Não sorrissem aos teus

Nem mesmo hoje,
Sob todas as regras,
Não há segredo algum
Que não possa ser revelado.

quarta-feira, janeiro 22, 2014

De cor

Eu tenho dois corações
Um que nunca para
E o outro que é tristeza
Que quando bate
Quase me mata
E quando mata
É poesia.

sexta-feira, janeiro 17, 2014

À Míngua de Tempestade

Agora que se assentam as ondas
Me sobram as conhas
E o silêncio do mar

segunda-feira, janeiro 13, 2014

Amores

Para todas as manhãs
Um pouco de chuva
Para todos os amores
Nenhuma certeza.

quarta-feira, janeiro 01, 2014

Delírio

O calor projeta no teto os demônios da dança. Lá fora o carvão reclama do fogo e a cabeça estala. A fumaça dentro do quarto só piora a minha falta de ar, logo chegarão os risos para completar a minha sede. Os delírios definem o prato do jantar, pois já se foi meio dia. Ainda faltam 3, sete vidas fora de casa, mais um dia e o primeiro do ano mais novo de minha vida.

 

3/4 © 2008. Thanks to Blogger Templates | Design By: SkinCorner